Esta página en español

TENDÊNCIAS E CIRCUNSTÂNCIAS

  1. Yi Jing Orienta
  2. Yi Jing: Uma ferramenta para o autoconhecimento
  3. Glossário
  4. Tendências e circunstâncias
Glossário

CONTEÚDO DO GLOSSÁRIO

Sabedoria

Tendências e circunstâncias

As quatro modalidades básicas

Formas de agir

Resultados da ação

Termos técnicos

Frases importantes

Então, como e por que agir?

TENDÊNCIAS E CIRCUNSTÂNCIAS

Quinhão, mandato, ordem: 命 mìng

命 [009-06; W14I]: Mostra um decreto 令 lìng (formado ao juntar um selo a um documento) expressado de forma verbal 口 kôu, ‘boca’. Significa: “Vida, duração da vida; nossa sina ou destino, principalmente quando ordenada pelo Céu; regra, princípio, ordem; lei, decreto, comando”.

O significado principal de mìng é ‘comando, comandar’, no sentido de ‘fazer acontecer’. Mìng 命 é uma forma verbal de míng 名 ‘nome’, já que ao dar nome a alguma coisa considerava-se estar descrevendo todos os aspectos que definiam e efetivavam essa coisa.

Mìng 命 está fortemente vinculada ao céu na expressão, muito utilizada, 天命 tianming: “comando ou mandato do Céu”. Era o Céu que nomeava o imperador, sendo essa nomeação sua justificativa para exercer o cargo, que, como contrapartida, o obrigava a manter-se, espiritual e efetivamente, digno dessa função. Dessa forma, o imperador recebia um mandato divino, mas, caso se mostrasse impróprio ao cargo, interpretava-se que o Céu tinha revogado o mandato, justificando-se desse modo as mudanças dinásticas. Assim, o imperador estava fadado a governar e isso leva a uma tradução de mìng como ‘destino, fado’.

Desde os primórdios do pensamento taoista existiu uma valoração cada vez maior da natureza, o que levou a estabelecer uma ligação entre os conceitos de ‘céu’ e ‘natureza’ na palavra 天 tiän ‘céu’. Como consequência, o mandato do Céu passou a ser interpretado como comandando nossa própria vida, determinando, inclusive, sua própria duração. Novamente, parece que a tradução de mìng como ‘destino, fado’ seja apropriada.

Mas, o destino de um imperador não estava escrito em lugar algum nem determinado por causas iniludíveis, ele só era imperador porque recebia esse nome, e durante o tempo em que o recebesse. Por outro lado, os chineses não consideravam que a vida de um indivíduo acabava porque alguém cortava algum fio, que nem as Parcas gregas, mas porque a energia que possuía no seu nascimento acabou esgotando-se. Vemos que, no conceito de mandato do Céu, existe uma forte participação das circunstâncias que envolvem cada indivíduo, em constante interação com as suas capacidades naturais.

O problema com ‘destino’ é que, na tradição ocidental, trata-se de um conceito fortemente carregado pelos significados de predeterminação, predestinação ou prefixação. Esta ênfase nos ‘pre-’ está fundamentada na crença em um ser ou seres divinos que determinam cada passo da nossa vida, crença não presente no pensamento chinês.

Assim, propomos traduzir mìng como ‘quinhão’ já que se refere à parte que toca a cada fenômeno (em particular a cada homem) dentro do processo total que caracteriza o real.

Resumindo, cada um de nós tem um conjunto de incumbências, resultado da interação entre a força das circunstâncias e nossas capacidades individuais. Essas incumbências, pela sua parte, exigem de nós posições éticas e morais acordes. Noutras palavras, cada um de nós tem seu quinhão e deve agir em consequência. O fato de sermos filhos exige piedade filial em contrapartida; o fato de sermos autoridade exige respeito pelos subordinados e dedicação à função. Estes são os mandatos aos quais devemos obedecer, o que a Explicação do Julgamento do H37, Organizando uma família, reforça dizendo:

Quando o pai é pai; o filho, filho; o irmão mais velho, irmão mais velho; o caçula, caçula; o esposo, esposo; a esposa, esposa; então a família está no caminho correto; a correção da família estabiliza tudo o que está embaixo do céu!

PALAVRAS-CHAVE

QUINHÃO:
A parte de um todo que cabe a cada um dos indivíduos pelos quais se divide; Fig. sorte, destino, fado”. Cota, parte, participação, fração, parcela, partilha, pedaço, porção, quantia.
Mandato:
Aquilo de que se está encarregado; incumbência, missão, encargo, responsabilidade, tarefa; concessão de poderes para desempenho de uma representação; delegação; poder dado ou autorizado”.
Nomear:
Designar pelo nome; proferir o nome de; chamar pelo nome; criar, instituir, designar; fazer a nomeação de; eleger; escolher; considerar; classificar; chamar; conferir o cargo de; escolher, designar; dar a si próprio um nome ou qualificativo; intitular-se; proferir ou pronunciar o próprio nome”.
Confrontar com Destino:
Sucessão de fatos que podem ou não ocorrer, e que constituem a vida do homem, considerados como resultantes de causas independentes de sua vontade; sorte, fado, fortuna; P. ext. aquilo que acontecerá a alguém; futuro; fim ou objeto para que se reserva ou designa alguma coisa; aplicação, emprego; lugar aonde se dirige alguém ou algo; direção”.

Utilização

H01Com // H064 // H072, H076 // H116 // H124 // H14Img // H192Pim // H25Exp // H351Pim // H44Img, H445Pim // H45Exp // H47Img // H49Exp, H494 // H50Img // H555 // H57Exp, H57Img

Inclinação, propensão, vontade: 志 zhì

志 [061-03, W79B]: Uma planta 之 que cresce no coração-mente 心. Como 之 significa também “ir para”, zhì carrega a ideia de um crescimento orientado numa direção. A ideia do ideograma, portanto, é aquilo que se desenvolve no nosso coração-mente e aponta numa direção. A palavra significa: “Determinação, vontade, propósito; ambição, escopo; anais, registros, estatísticas”.

A palavra ‘vontade’ parece traduzir adequadamente zhì, mas, no contexto do pensamento ocidental, trata-se de uma palavra demasiadamente vinculada com a ideia de um ‘eu’ que sente, mentalmente, um anseio de fazer alguma coisa, ideia muito problemática no pensamento chinês. Hall and Ames (1998, pag.38) dizem:

“志 é convencionalmente traduzido por ‘vontade’ mas etimologicamente combina 心 ‘coração-mente’ com 之 ‘ir para’ ou 止 ‘estar em’, e significa ‘ter em mente’ ou ‘colocar a mente na direção de’. No dicionário clássico Shuowen, 志 é glosado como 意 yì ‘ideia ou significado’. Zhì indica, portanto, o que temos em mente. É muito mais próximo da noção de ‘disposição’ do que do conceito de ‘vontade’.”

Jullien (1997, pág.83), no Comentário do H11, o traduz como “aspirações”.

Cada fenômeno, em particular cada um de nós, tem 性 情, xing jing, ‘essências e tendências inerentes’ (vide) e isso significa disposições ou inclinações individuais. Essas inclinações são as que determinam, a cada momento, nossa preferência por um curso de ação ou outro. A conclusão evidente é que, caso essas inclinações sigam as tendências gerais do momento, teremos um resultado positivo de nossas ações; se nossas inclinações estão contra essas tendências, o resultado será negativo. É assim que temos que entender o uso que o Yi Jing faz de zhï.

PALAVRAS-CHAVE

INCLINAÇÃO:
Ato ou efeito de inclinar(-se); Fig.: disposição, tendência, propensão, pendor”. Tendência, orientação, rumo; predisposição, propósito, queda, vocação; vontade, decisão, deliberação, ânimo, determinação, resolução; desejo, anelo, aspiração; empenho, aplicação, interesse.
Propender:
Estar inclinado; inclinar-se, tender, pender; ter disposição ou tendência”. Dirigir-se, encaminhar-se; visar, ter em vista ou por fim; dispor-se, apresentar tendência, inclinação ou disposição para algo.
Propósito:
Algo que se pretende fazer ou conseguir; intenção, intento, projeto; fim a que se visa”.
Aspiração:
Desejo intenso de alcançar um objetivo, um alvo, um fim”.
Confrontar com Vontade:
Faculdade de representar mentalmente um ato que pode ou não ser praticado em obediência a um impulso ou a motivos ditados pela razão; sentimento que incita alguém a atingir o fim proposto por esta faculdade; aspiração; anseio; desejo; capacidade de escolha, de decisão; deliberação, decisão ou arbítrio que parte de entidade superior; ânimo firme; firmeza, coragem; capricho, fantasia; veleidade; desejo, decisão ou determinação expressa; empenho, interesse, zelo; disposição do espírito, espontânea ou compulsiva; tendência (observada nas coisas)”.

Utilização

Esta palavra é muito utilizada em diversos hexagramas.

Tendências inerentes, emoção: 情 qíng

情 [061-09; W115D]: Um coração-mente 心 que parece uma planta exuberante 生 que fica vermelha 丹 ao queimar. Significa: “O que uma pessoa realmente sente, sentimentos, emoções, paixões; coração, natureza humana; disposição; simpatia, compaixão; circunstâncias; os fatos de um caso; a verdade de um assunto; verdadeiro, sincero; {Budismo}: Sensitividade; faculdade, habilidade; pensamento, mente, emoção”.

Em Zhuangzi, qíng tem, sem dúvida, o significado de ‘emoção’. Ele diz sobre esse conceito:

“Alegria, raiva, dor, satisfação, preocupação, remorso, caprichos, inflexibilidade, modéstia, vontade, candidez, insolência. Ninguém sabe de onde se originam, mas aparecem como fungos materializando-se no solo úmido, substituindo-se uns aos outros noite e dia. Dia e noite as temos e são os meios pelos quais vivemos. Sem elas não haveria ‘eu’, sem ‘eu’ não haveria onde elas aparecerem”.

Para ele, a aparição das emoções é o que configura tanto o espaço onde elas aparecem quanto a própria sensação de sermos um ‘eu’ individual.

Por sua vez Hansen (1992, pág.406, nota 14) define qíng como “A forma na qual a realidade se registra em nós. É o impacto da realidade nos humanos que dispara suas definições de nomes e suas escolhas”.

O problema, porém, de usar ‘emoção’ ou ‘sentimento’ como tradução de qíng é que não somente os homens, mas todos os fenômenos (animais, Céu, pedras, etc.) têm qíng. Em particular, os textos do Yi Jing referem-se ao qíng do Céu, da terra e dos dez mil processos. Podemos então generalizar a definição de Hansen e dizer que qíng é a reação de cada processo ao impacto que a realidade exerce sobre ele, incluindo, como caso particular, aos homens. Essa realidade está formada por todos os outros processos que interagem com aquele que estamos considerando.

Zhuangzi refere-se a 性 情, xìng qíng, que é tanto ‘aquilo com o que nascemos e aquilo que sentimos (nossas emoções)’, quanto ‘aquilo do que estamos formados e aquilo que modifica nossa conduta’ (emoção: e+moção, o ato de mover moralmente). Enquanto 性 xìng (‘aquilo com que nascemos’) parece ‘sólido’ (o caráter representa um coração na hora de nascer), 情 qíng parece ‘volúvel’ (o caráter representa um coração que queima ao compasso das circunstâncias), mas, será que qíng é realmente ‘volúvel’? Nossas emoções também estão vinculadas a tendências internas que fazem de nós o que somos e que caracterizam nossa forma particular de responder às circunstâncias (sabemos que um mesmo fato externo pode gerar alegria em uns e tristeza em outros). Por isso, ao estender o conceito às dez mil coisas, podemos traduzir 性 情 como ‘essências e tendências inerentes’ (vide Lynn 1994, pág.27 e o capítulo “Autêntico e espúrio”).

PALAVRAS-CHAVE

Emoção [e-mover]:
Ato de mover (moralmente); perturbação ou variações do espírito advindas de situações diversas, e que se manifesta como alegria, tristeza, raiva, etc.; abalo moral; comoção; Psicol.: reação intensa e breve do organismo a um lance inesperado, a qual se acompanha dum estado afetivo de conotação penosa ou agradável; estado de ânimo despertado por sentimento estético, religioso, etc.”.
Reação:
Ato ou efeito de reagir; resposta a uma ação qualquer por meio de outra ação que tende a anular a precedente; Fís.: força que se opõe a outra; Fisiol.; resposta, em extensão variável, do organismo a um estímulo normal ou patológico”.
Resposta:
Qualquer ato que se segue a um estímulo exterior e a ele está imediatamente ligado”.
Retroalimentação:
Processo pelo qual se produzem modificações em sistema, comportamento ou programa, por efeito de respostas à ação do próprio sistema, comportamento ou programa. [Um exemplo de retroalimentação seriam modificações no enredo de uma novela de televisão como resultado de pesquisas de opinião.]; P. ext.: essas respostas em si mesmas. [Corresponde ao inglês feedback.]”. Emoção, sensação, sentimento, perturbação.
Inerente:
Que está por natureza inseparavelmente ligado a alguma coisa ou pessoa”. Estrutura, feição, feitio, gênio, natureza, temperamento; aptidão, caráter, catadura, cunho, disposição, espírito.

Utilização

H01Com // H31Exp // H32Exp // H34Exp // H45Exp

Coração-mente: 心 xïn

心 [061-00; W107A]: Representa um coração, com a aorta saindo dele. Significa: “Coração, mente, espírito, motivo, sentido, mentalidade, ideia, pensamento, sentimento. Cordialidade, sinceridade, atenção, interesse, cuidado, intenção, vontade, ânimo. Essência, núcleo, tutano”.

Um dos conceitos mais arraigados no pensamento ocidental é a dicotomia entre sentimento e intelecto, entre emoção e racionalidade, entre o afetivo e o cognitivo, sediados, respectivamente, no coração e na mente. Por extensão, as emoções são consideradas vinculadas ao corpo e o intelecto ao espírito o que leva, na tradição judaico-cristã, com seu viés platônico, a menosprezar o sentir e exaltar o pensar. Assim, o corpo é sujo; os sentidos, não confiáveis; as emoções (ou melhor, paixões), irracionais. Por outro lado, a mente é pura; a razão, perfeita; a inteligência, límpida; as ideias, excelsas.

Essa visão dualista ocidental conduz a uma angústia existencial que o homem tem que superar. Ela está caracterizada por um conflito associado à ideia de um eu que, separado do resto do mundo, deve brigar sozinho para superar a disputa ‘interna’ entre seus apetites, suas emoções e suas capacidades racionais. O homem é visto como uma entidade dividida internamente em partes antagônicas.

Essa divisão está totalmente ausente no pensamento chinês, que desconfiava de todo dualismo, exceto quando fosse claramente complementar. Para eles, sentir e pensar eram funções de um único órgão, xïn, que não pode ser traduzido por ‘mente’, porque também se emociona, nem por ‘coração’, porque também raciocina. Uma importante consequência dessa visão integrada é que as emoções podem fornecer um caminho para o conhecimento e que os conceitos podem também comover-nos.

Na China, o homem também deve superar conflitos, mas eles não são ‘internos’, resultados de uma divisão do seu íntimo em partes estanques. Seus conflitos são ‘externos’, já que eles estabelecem-se na relação entre o indivíduo e seu entorno, nos relacionamentos com o mundo que o rodeia. Adquirem assim uma dimensão ética porque conduzem a uma constante reavaliação da forma em que o indivíduo atua e da qualidade das suas interações com os outros processos com os quais está em contato, em particular com os outros homens. O homem é visto como uma unidade que deve harmonizar-se com as outras unidades que o rodeiam.

Muito provavelmente (considerando o fracasso da pituitária como sede do espírito), futuros avanços da neurobiologia vão gerar conceitos mais apropriados para descrever as funções integrais do cérebro e isso permitirá uma melhor tradução da palavra xïn. Até então ‘coração-mente’ parece ser a única forma de referir-se adequadamente a essas capacidades.

PALAVRAS-CHAVE

SENTIMENTO:
Ato ou efeito de sentir(-se); capacidade para sentir; sensibilidade; faculdade de conhecer, perceber, apreciar; percepção, noção, senso; disposição afetiva em relação a coisas de ordem moral ou intelectual; afeto, afeição, amor; entusiasmo, emoção; alma; pesar, tristeza, desgosto, mágoa”.
PENSAR:
Formar ou combinar no espírito pensamentos ou ideias; fazer reflexões; refletir, raciocinar; reflexionar, refletir; meditar, cismar; tencionar, cogitar; estar preocupado; ter cuidado; lembrar-se; imaginar; meditar; refletir, reflexionar; avaliar pelo raciocínio; julgar, imaginar; delinear mentalmente; meditar; imaginar, supor”. Achar, crer, considerar, entender, compreender; conceber, imaginar, planejar, conscientizar, calcular; inteligência, intelecto, perspicácia, razão.

Utilização

H114Pim // H152Pim // H24Exp // H29Julg // H31Exp // H364 // H425, H426 // H522, H523, H524 // H564 // H612Pim

Consentir, devoção, obedecer: 順 shùn

順 [181-00; W160C]: 頁 ‘cabeça’ e 川 chuän ‘rio’, ou seja, nadar num rio com a cabeça para frente, seguindo a corrente. Significa: “Seguir, estar de acordo com, obedecer a, acompanhar a; obedecer, concordar”.

No Yi Jing encontram-se três conceitos que estão profundamente entrelaçados: a energia yin, o segundo hexagrama (formado só por linhas abertas) e a atitude de aceitação, obediência e acatamento que o yin manifesta perante o yang. Podemos considerar que são três visões do mesmo conceito. A fim de diferenciá-los, neste trabalho foram adotados os seguintes nomes:

‘Aceitação’: refere-se à energia yin;

‘Conformidade’: corresponde ao hexagrama H02;

‘Consentir’`: alude a shun, que é a atitude correta com a qual o sábio aceita e se conforma com o andamento espontâneo que as miríades de processos assumem como resultado da sua livre interação. É o que faz Garfield na tira apresentada no capítulo sobre as sementes na Fundamentação Teórica: ele aceita o futuro da forma que se apresentar, e o aprova sem questioná-lo. Queremos insistir que não se trata de uma atitude complacente do tipo ‘bovina’. Trata-se, na realidade, de uma sincera aceitação interior com relação ao andamento das coisas, acompanhada por uma atenta observação desse mesmo andamento até encontrar o momento certo para introduzir, por qualquer motivo que seja desejado, uma mudança, que será implementada com o menor esforço possível. Colocado noutras palavras, a vida pode se precipitar sobre nós como ondas, ora calmas, ora apavorantes; o conselho é sempre o mesmo: surfar, surfar e não surtar.

A tradução mais comum de shun, ‘devoção’, tem o grave inconveniente do seu tom religioso, que implica numa veneração incondicional que, geralmente, é permanente. Shun, como vimos, subentende a possibilidade de alterar essa aceitação quando o momento for oportuno.

PALAVRAS-CHAVE

ACEITAR:
Estar de acordo com; concordar com; anuir a; conformar-se com (fato, circunstância, etc.); chamar a si; arrogar-se, atribuir-se; dar crédito a; ter como bom, como certo, como verdadeiro; acreditar; admitir, tolerar, suportar; reconhecer”. Anuir, aceder, admitir, aprovar, aquiescer, assentir, concordar. Permitir, autorizar, deixar. Tolerar, condescender, transigir. Acatar, atender, ceder, sujeitar-se, render-se, submeter-se. Obedecer, cumprir, seguir. Adotar, guardar, observar, assumir. Concordar, acolher, admitir, anuir, assentir, conceder. Resignar-se, aguentar, aturar, conformar-se. Conciliar, compatibilizar, adaptar-se, adequar-se, curvar-se.
CONFORMAR:
Tornar conforme; conciliar, harmonizar; adequar, amoldar; ser conforme; corresponder; ajustar-se, adequar-se; acomodar-se; resignar-se; Ant.: ser da mesma opinião; concordar; identificar-se, ajustar-se; amoldar-se; modelar-se”.
Obedecer:
Sujeitar-se à vontade de; estar sob a autoridade de; estar sujeito; prestar vassalagem; não resistir; ceder; estar ou ficar sujeito a uma força ou influência; submeter-se ao mais forte; render-se; cumprir, executar; seguir o impulso de alguma coisa; submeter-se à vontade de outrem; executar as ordens de outrem”.
Ceder:
Transferir (a outrem) direitos, posse ou propriedade de alguma coisa; pôr (algo) à disposição de alguém; emprestar; não resistir; sucumbir; dobrar-se, curvar-se; condescender; anuir; sujeitar-se; render-se; renunciar, desistir; assentir em alguma coisa; diminuir, abrandar; amainar; tornar-se frouxo, lasso; afrouxar, relaxar”.
Consentir:
Dar consenso ou aprovação a; permitir; admitir; tolerar; concordar com; aprovar; dar ocasião a; tornar possível; dar lugar a; deixar; permitir, admitir, tolerar; aquiescer, aceder, anuir, concordar; ceder, aceder; estar em harmonia; ser conforme; condizer”.
Devoção:
Ato de dedicar-se ou consagrar-se a alguém ou entidade; sentimento religioso; culto, prática religiosa; dedicação íntima; afeição, afeto; objeto de especial veneração”.
Acatar:
Respeitar, reverenciar, honrar, venerar; obedecer, seguir (opinião, etc.)”.

Utilização

H02Exp, H02Com // H043Pim, H045Pim, H046Pim // H054Pim // H07Exp // H08Exp, H085Pim // H11Exp // H14Img // H16Exp // H19Exp, H192Pim // H20Exp // H23Exp // H24Exp // H275Pim // H312Pim // H35Exp // H36Exp, H362Pim // H372Pim, H374Pim // H45Exp // H46Exp, H46Img, H464Pim // H49Exp, H496Pim // H533Pim, H534Pim // H56Exp // H57Exp // H58Exp // H591Pim // H62Exp

Confiança (ter ou inspirar): 孚

孚 [039-04; W94B]: representa as patas 爪 de uma ave chocando seus filhotes 子. As crias suportam o peso da mãe confiando que não serão esmagadas. Significa: “Chocar, incubar ou sentar em ovos; cobrir, esconder, proteger; nossos pensamentos internos, a verdadeira mente; confiar, ter confiança em; respeitar; despertar ou inspirar confiança; criar, alimentar”. Couvreur define como: “Fiel, sincero, digno de fé, que merece confiança; ter fé, ter confiança, ter a confiança de, dar consentimento a”.

Confiança é um estado que se estabelece necessariamente entre duas partes: uma a inspira e a outra a sente. Obviamente, a sinceridade é uma das qualidades necessárias para inspirar confiança.

A grande maioria dos textos do livro se refere a ‘existir ou não confiança’ entre as partes envolvidas no assunto abordado pelo texto específico.

PALAVRAS-CHAVE

CONFIANÇA:
Segurança íntima de procedimento; crédito, fé; boa fama; segurança e bom conceito que inspiram as pessoas de probidade, talento, discrição, etc.; esperança firme”.
Sincero:
Que se expressa sem artifício, sem intenção de enganar; franco, leal; que se mostra disposto a reconhecer a verdade; franco, leal; dito ou feito sem dissimulação; verdadeiro, autêntico, puro; cordial, afetuoso; sem afetação ou disfarce; de boa-fé; sem impostura ou malícia”. Acreditar, fiar; cabal, fidedigno, fiel, idôneo, autêntico, genuíno, sério, verdadeiro.

Utilização

H05Julg // H06Julg // H081 // H094, H095 // H113, H114 // H145 // H174, H175 // H20Julg // H29Julg // H341 // H351 // H376 // H384 // H404, H405 // H41Julg // H423, H425 // H43Julg // H451, H452, H455 // H462 // H486 // H49Julg, H493, H494, H495 // H552 // H582, H585 // H61Nome // H645, H646