H48 Sustentando como um poço

  1. Yi Jing Orienta
  2. Yi Jing: Uma ferramenta para o autoconhecimento
  3. Hexagramas
  4. Hexagrama 48

TEXTOS GERAIS

NOME

井 SUSTENTANDO COMO UM POÇO

jîng, 007-02 W115, representa uma divisão regular de terra cultivável em nove partes iguais, alocada a 9 famílias, com um poço no centro; com o desuso dessa forma de divisão, o caráter passou a representar simplesmente “Um poço”.

No manuscrito de Mawangdui este hexagrama tem o mesmo nome.

PALAVRAS-CHAVE

SUSTENTAR:
“Dar ou receber alimentação; alimentar(-se), nutrir(-se); matar a fome; satisfazer por muito tempo as necessidades de alimento, especialmente para aqueles que executam trabalho pesado; dar ou obter os recursos necessários para a manutenção; manter(-se), conservar(-se); dar ou receber o necessário à vida (alimentação, vestuário, habitação, cuidados com a saúde etc.); prover(-se), manter(-se), amparar(-se); gerar os recursos materiais para a sobrevivência de (um país, uma classe social etc.); garantir e fornecer os meios necessários para a realização e continuação de (uma atividade)”.
Prover:
Abastecer, acudir, aparelhar, aprovisionar, dotar, equipar, fornecer, guarnecer, municiar, providenciar, subministrar, suprir.
POÇO:
“Grande buraco, geralmente circular e murado, cavado na terra a fim de atingir um lençol de água subterrâneo; buraco, geralmente circular, que se faz no solo para acumular água; cisterna”. Acéquia, açude, barragem, dique, represa.

OUTROS NOMES

JAVARY:
O Poço
Comunicar, Transmitir, Se abastecer
RICCI:
O Poço, momento onde se desce nas profundezas para aí captar aquilo que vivifica sem se exaurir
ZAFRA:
Chegando até o fundo
JAVARY:
Recursos
WING:
A fonte (O poço)
REIFLER:
O poço
DAMIAN-KNIGHT:
O manancial
SHCHUTSKII:
O poço
LOISI:
O poço de água, voltar-se a si mesmo
GALL:
O poço
BLOFELD:
Um poço
SIU:
Potencialidades realizadas
LEGGE:
Um poço
DAMIAN-KNIGHT:
A fonte
CHIH-HSU:
O poço
WILHELM:
O poço
REVERSO:
H47 ou H48
Esgotar-se, desagregar-se, afastar-se de si ou Aquietar-se e relaxar-se

JULGAMENTO

(jǐng)(gǎi) () () (gǎi) (jǐng)() (sàng) () ()(wǎng) (lái) (jǐng) (jǐng)

() (zhì)() (wèi) () (jǐng)(léi) () (píng) , 凶 。

Sustentando como um poço: muda-se uma cidade, mas não se muda um poço; não há perdas nem ganhos: vai desordenadamente ou volta, mas o poço permanece um poço.

[Mas, caso esteja] completamente seco, sem a corda do poço ou com o balde estragado, é um prejuízo. 1

PALAVRAS-CHAVE

MUDAR:
“Fazer ou sofrer mudança; deslocar de posição, posto etc.; remover, transferir; transferir(-se) para outro local; dar outra direção a; afastar, desviar; arrumar de outro modo; dispor em outra ordem; recombinar; apresentar(-se) de modo diferente, física ou moralmente; alterar(-se), modificar(-se); cambiar, variar em decorrência de algum fenômeno; trocar por outro; substituir, variar; deixar uma coisa por outra; modificar as características essenciais de (algo)”.
PREJUÍZO:
Dano, detrimento, perda, rombo; desapropriado, descabido, desnecessário, desvantajoso, imprestável, impróprio, incômodo, inconveniente, indevido, inoportuno, inútil, irregular, mau, prejudicial.

Um poço abastece de água quem necessitar, mas exige algumas condições para isso. Primeiro, é necessário aproximar-se dele; um poço não muda de lugar, mas quem precisa dele, sim. Segundo, a simples presença do poço não é suficiente para garantir o fornecimento de água: é necessário utilizar um balde em boas condições e uma corda para que o balde desça até a água. Noutras palavras, um poço não é um lago, ele exige uma ação efetiva e eficiente por parte de quem quiser saciar sua sede.

EXPLICAÇÃO DO JULGAMENTO

(xùn) () (shuǐ) (ér) (shàng) (shuǐ)(jǐng)(jǐng) (yǎng) (ér) () (qióng) ()

(gǎi) () () (gǎi) (jǐng)(nǎi) () (gāng) (zhōng) ()

() (zhì) () (wèi) () (jǐng)(wèi) (yǒu) (gōng) ()

(léi) () (píng)(shì) () (xiōng) ()

Penetrando na água e subindo-a: assim o POÇO SUSTENTA. Um poço alimenta e não se esgota! 2

Muda-se uma cidade, mas não se muda um poço, sem dúvida porque o firme é central!

Completamente seco ou sem a corda do poço não há méritos!

Um balde estragado é realmente um infortúnio!

Se agirmos adequadamente, descendo o balde até o fundo e elevando nele a água, veremos satisfeita nossa sede. Normalmente, e exceto em casos extremamente anômalos, um poço continua a fornecer a água disponível no lençol freático.

O firme e central que não muda de lugar e garante a sustentação dos necessitados refere-se à 5ª linha, yang, regente do hexagrama.

IMAGEM

() (shàng) (yǒu) (shuǐ)(jǐng)(jūn) () () (láo) (mín) (quàn) (xiāng)

Há água encima da madeira: a imagem de sustentando como um poço.

Assim, o sábio, porque recompensa o povo pelos seus esforços, ensina as pessoas a se ajudarem mutuamente. 3

O sábio conforta todos e cada um, como um poço fornece água a qualquer um que a tire dele. Desta forma, todos aprendem o valor do ajudar e assim se encaminham, por sua vez, a assistir a seus pares.

SEQUÊNCIA

(kùn) () (shàng) (zhě)() (fǎn) (xià)() (shòu) (zhī) () (jǐng)

Aquele que está oprimido pela conjuntura ao subir, certamente deve retornar para baixo, por isso agora vem sustentando como um poço.

Quando estamos pressionados pelas circunstâncias nos resulta muito difícil avançar, quanto mais subir! Por isso o recomendado nesses momentos é voltar-nos para nosso interior, para o fundo do poço que representa cada um de nós, e extrair de lá o líquido vivificador que nos alimenta e nos permite alimentar os que nos rodeiam.

HEXAGRAMAS MISTURADOS

(jǐng) (tōng)(ér) (kùn) (xiāng) () ()

sustentando como um poço, [que] flui livremente, e abafado pela conjuntura se encontram mutuamente! 4

O alimento que podemos encontrar no nosso interior é a contrapartida necessária para enfrentar os momentos nos quais as circunstâncias parecem abrumar-nos até o limite de nosso esgotamento.

DESCRIÇÃO DO MOMENTO

Quando nos sentimos oprimidos pela conjuntura, devemos voltar-nos para nós mesmos, o poço de onde poderemos extrair o sustento que nos alimente. Isso significará, certamente, uma renovação radical da conjuntura.

Água acima da madeira, um balde subindo água das profundezas para alimento de todos os seres, eis a imagem deste hexagrama. A água representa também as nossas energias vitais que, emergindo do nosso subconsciente, alimentam as nossas ações e determinam as manifestações do nosso caráter.

Este hexagrama mostra como devemos administrar essas energias. Elas só adquirem sentido pleno quando oferecidas aos outros seres, da mesma forma que a água, quando mantida dentro do poço, não serve para coisa alguma.

Um poço caracteriza-se por não poder ser transportado, sua localização fixa é intrínseca à sua função, mas ainda assim ele sofre evoluções no tempo que afetam sua forma de funcionar e sua eficiência. Da mesma forma nosso caráter é visto como uma unidade, aparentemente constante no tempo, já que em todo momento nos identificamos com a palavra "eu", apesar da diversidade de circunstâncias que atravessamos e da diversidade de reações que a elas temos. Essa constância é falsa, uma vez que há em nós mudanças significativas, principalmente na forma pela qual nos manifestamos.

Este hexagrama nos ensina a administrar adequadamente nossas energias vitais, para oferecê-las ao nosso próximo sem esgotá-las. A ideia é que um poço, exceto se mantido descuidadamente, fornecerá água sem se exaurir, água disponível de forma equânime a todos os seres que dele se aproximem.

Por tudo isso é que o Xì Cí (B,VII), quando explica a sequência de formação do caráter, diz deste hexagrama:

(jǐng)() (zhī) () ()() () (suǒ) (ér) (qiān)() (biàn) ()

SUSTENTANDO COMO UM POÇO mostra o assento do caráter; está fixo em seu lugar e ainda assim se mexe; é usado para discriminar a justiça. 5

Um ponto fundamental é que a água só pode ser bebida se for extraída do poço, por isso a ação deste hexagrama está orientada para cima. Olhar para baixo, para dentro, sem efetuar o esforço correlato de extrair a água, é a origem do infortúnio. Da mesma forma nossas energias vitais só podem ter significado se as deixamos manifestar-se no mundo externo, já que de nada servem se a mantivermos para nós mesmos.

O hexagrama nuclear é H38, Divergindo construtivamente. Vemos que no interior do Poço há uma energia potencial muito grande e criativa. O nosso desafio é concretizar esse potencial.

O hexagrama antagônico é H21, Unindo de forma rude. A atitude agressiva de morder não é adequada num momento onde devemos nos oferecer aos demais para ajudá-los a se alimentar.

O hexagrama oposto é H47, Oprimido pela conjuntura, que nos mostra que controlar a possibilidade de esgotamento, de exaurir nossas energias, é outro aspecto da situação que estamos estudando.

Como sempre as linhas nos apresentam diversas atitudes possíveis dentro da situação:

  • H486 O poço não deve ser coberto.
  • H485 O poço está disponível, é só tirar a água.
  • H484 O poço está em conserto.
  • H483 Há água, mas não é usada.
  • H482 Há água, mas não há com que tirá-la.
  • H481 Não há água.

LINHAS

H481 => H051 Esperando sem inquietar-se

  1. (jǐng) () () (shí)(jiù) (jǐng) () (qín)

    Um poço emporcalhado não alimenta, num poço em decadência não há pássaros. 6

  2. (jǐng) () () (shí)(xià) ()(jiù) (jǐng) () (qín)(shí) (shě) ()

    Um poço emporcalhado não alimenta porque é inferior!

    Num poço em decadência não há pássaros porque seu momento passou!

Yin em posição yang e sem correspondência e com vizinhança com a obstruída 2ª, esta linha representa alguém sem capacidade para enfrentar criativamente suas circunstâncias de vida. Sua falta de energia está indicada pelo fato da água não superar o nível da lama do fundo do poço e, por isso, não alimentar vida.

Esta situação leva a uma espera (H05), um tanto decadente, das ações que deverão ser tomadas no futuro. "Esperando no subúrbio é conveniente e útil manter-se inalterável", diz H051, ou seja, o sujeito desta linha está aguardando em um lugar um tanto "chato", onde não acontecem muitas coisas porque se está longe do centro da ação.

Pode-se dizer que esta linha espera que chova para encher o poço.

H482 => H392 Obstruído pelas dificuldades

  1. (jǐng) () (shè) ()(wèng) () (lòu)

    Num poço profundo se flecham peixes, mas o cântaro deteriorado vaza. 7

  2. (jǐng) () (shè) ()() () ()

    Num poço profundo flechar-se peixes significa que ninguém o compartilha!

Yang em posição yin, central e sem correspondência e com vizinhança com a improdutiva 1ª, esta linha tem muita energia, sem conseguir canalizá-la adequadamente.

Ela possui muito potencial, representado pela profundidade do poço, o que significa muito volume de água e alimento para muita vida. Só que, apesar desse potencial interior, esta linha não consegue cumprir sua função por se encontrar obstruída pelas circunstâncias (H39). A água, disponível em quantidade, não é extraída por duas razões: o foco da atenção fica dirigido para baixo, quando deveria se concentrar em subir a água (por isso peixes e não pássaros) e o cântaro vaza. Isso é aumentado por uma atitude de certa forma infantil, já que ela enxerga “obstáculo sobre obstáculo” (H392) por todo lado e, em lugar de superá-los, se dedica a flechar os peixes, eliminando a vida e estragando assim a água.

H483 => H293 Treinando no abismo

  1. (jǐng) (xiè) () (shí)(wéi) () (xīn) ()() (yòng) ()(wáng) (míng)(bìng) (shòu) () ()

    Um poço com folhagem não alimenta: meu coração sofre porque poderia ser usado para puxar água. [Mas] um rei esclarecido faria que todos alcançassem a felicidade. 8

  2. (jǐng) (xiè) () (shí)(háng) () ()(qiú) (wáng) (míng)(shòu) () ()

    Um poço com folhagem não alimenta e equivale a uma ação dolorosa!

    Procurar um rei esclarecido significa alcançar a felicidade!

Yang em posição yang e em correspondência com a disponível 6ª e vizinhança com a trabalhadora 4ª, esta linha tem a energia apropriada para agir adequadamente, o que neste hexagrama significa alimentar os demais com sua energia vital, mas, infelizmente e por descuido, ela não cumpre sua função, já que deixa sujar a água com folhas caídas.

Existem aspectos que lhe impedem cumprir o que dela se espera: primeiro, ela está separada da 6ª por um abismo, reduzindo o efeito da correspondência; e segundo, ela muda para H293, que diz: "Indo e vindo de abismo em abismo, em perigo até o pescoço, entra num buraco no fundo do abismo, isso não é útil". Noutras palavras, esta linha tem capacidades, mas, em função de suas circunstâncias perigosas, tem medo de exercê-las.

Este não preenchimento da sua função causa frustração, mas se um rei iluminado intervier conseguirá ajudá-la a extrair água. Este rei é a 5ª linha, com a qual se forma o trigrama nuclear Luz.

H484 => H284 Excedendo-se sendo grande

  1. (jǐng) (zhòu)() (jiù)

    Um poço entijolado, nenhum erro. 9

  2. (jǐng) (zhòu) () (jiù)(xiū) (jǐng) ()

    Um poço entijolado, nenhum erro porque é um poço em conserto! 10

Yin em posição yin, sem correspondência com a incapaz 1ª e boa vizinhança com a refrescante 5ª que, seguindo a tendência do hexagrama, a desatende porque olha para cima, esta linha tem pouca energia para o que se espera dela, fato agravado por encontrar-se sozinha.

Ela corre o risco de se exceder (H28), mas consegue seguir o conselho de H284, que diz: "a trave se mantém alta, o que é benéfico, mas atender outro envergonha". Ela não consegue ajudar ninguém, mas dedica suas energias a fortalecer-se e preparar-se interiormente para agir no futuro.

H485=>H465 Crescendo suavemente

  1. (jǐng) (liè)(hán) (quán) (shí)

    Um poço límpido, uma fonte refrescante da qual beber. 11

  2. (hán) (quán) (zhī) (shí)(zhōng) (zhèng) ()

    Bebe da fonte refrescante porque é central e correta!

Yang em posição yang central, sem correspondência, mas em vizinhança com a introvertida 4ª e a disponível 6ª, esta linha é a regente do hexagrama e tem muita energia.

Ela representa a água que corre clara e límpida, pura e forte como uma torrente num vale profundo (centro do trigrama Abismo). Aqui a água sobe facilmente (H46) para alimentar a todos os seres, já que esta linha muda para H465, que diz: "Insistir é benéfico caso se cresça gradualmente, porque assim suas aspirações são atingidas com largueza”.

H486 => H576 Obedecendo docilmente

  1. (jǐng) (shōu) () ()(yǒu) () (yuán) ()

    Um poço utilizável não deve ser coberto, existe confiança e um benefício primordial. 12

  2. (yuán) () (zài) (shàng)() (chéng) ()

    O benefício da posição de cima vem de seu grande aperfeiçoamento!

Yin em posição yin, em correspondência com a frustrante 3ª (porém distanciada dela pelo Abismo que as separa) e vizinhança com a fonte da 5ª, esta linha representa a água disponível para ser bebida. Mas existe um alerta: não deve descuidar sua função essencial cedendo a atitudes negligentes, já que H576 a alerta para não “perder suas posses e ferramentas porque é um prejuízo", ou seja, não perder aquilo que lhe permite ser útil.

NOTAS

  1. gâi: “Mudar, modificar, converter, renovar, reformar, reparar, retificar, melhorar, examinar”. // 喪 säng: “Morrer, desaparecer, perder”. // 得 : “Ganhar; oposto a perder”. // 井 井 jîng jing: “Ordenado, sistemático, regular”. // 汔 : “Quiçá; seco”. // 至 zhì: “Alcançar; o máximo, o maior; alcançar a perfeição; o extremo”. // 亦 : “Também, assim como, é mais”. // 羸 léi: “Enfraquecer; emagrecer, ruim”. // 瓶 píng: “Balde”. // A palavra 繘 , 120-12, “Corda de poço”, gera três versões deste texto. A primeira: Xú Zi (Hóng, pág.258), glosa 繘 como 矞 , 110-07 W15C: “Perfurar”, o que deixaria a frase como “Mas, seco completamente, ou se o poço não fosse perfurado...”. Segunda: o manuscrito de Mawangdui (Shaughnessy, pág.299) traz 汲 “Puxar água, sugar, aspirar” no lugar de 繘 , o que levaria a “Mas, seco completamente, ou se a água do poço não fosse extraída...”. Terceira: a literal “Mas, seco completamente, ou sem a corda do poço...”. Em todos os casos os textos apresentam situações em que o poço poderia até ter água, mas resulta impossível extraí-la, o que equivale a um poço seco, já que o resultado é o mesmo: não se consegue extrair mais água. Entendemos que a tradução proposta exprime mais claramente a situação.
  2. yang 184-07 W103A, representa uma ovelha 羊 yang que serve como alimento 食 shí, e significa: “Alimentar, cultivar, crescer, proteger, cuidar”.
  3. láo 019-10: “Cansado por um esforço físico; trabalhar, se esforçar; sofrer, passar dificuldades, experimentar dores físicas ou mentais; emprego, trabalho; cuidar, tratar gentilmente; agradecer ou recompensar uma pessoa pelos seus esforços”. // 勸 quàn: “Exortar, encorajar, persuadir; aconselhar, ensinar”. // 相 xiäng: “Mútuo, recíproco; olhar, observar, analisar; ajudar, guiar, assistir, verificar as necessidades de.”
  4. tong: “Mover-se livremente e sem impedimentos; passar, atravessar, penetrar, permear”. // 遇 : “Encontro”.
  5. : “Terra; oposto a Céu; uma terra, um país, um território; local, localização, posição”. // 居 : “Estar; sentar, se estabelecer; ocupar um local, estar situado em certo local; habitar, viver em; residência”. // 遷 qiän: “Movimento, transição, mudança; remover, mudar”.
  6. : “Lama, sujeira; grudar; estagnado, obstruído”. // 食 shí 184-00 W26M: “Comer e beber; alimentar outros; comida, arroz”. // 舊 jiù: “Velho, antigo; original, originalmente”.
  7. : “Um vale; um córrego num vale; um canal; um lugar de encontro, um caminho; bom, alimentar, crescer (um vale é uma metáfora de suas várias funções e qualidades: profundidade, alimentação, etc.)”. Mawangdui traz nesta posição a palavra 瀆 , 085-15: “Grande curso de água” (Couvreur). // 射 shè: “Flechar”. // 鮒 : “Um peixe tipo carpa”. // 瓮 wèng: “Balde, cântaro”. // 敝 bi: “Estragado, quebrado, descartável”. // 漏 lòu: “Perder, vazar”.
  8. xié, 085-09: “Desassorear; espalhar; poluir, sujar; bombear água”. Formado, à esquerda, pelo radical estilizado “Água” e, à direita, pelo fonema 494 W24O, que representa “Muitas folhas de árvore”; o conjunto transmite a ideia de folhas flutuando por cima das águas. Xu Zihong (pág.261) glosa como 污 wu: “Sujeira”.
  9. zhòu: “Os tijolos da parede de um poço; piso ou cerca feitos de tijolos; colocar tijolos; consertar um poço”.
  10. xiü: “Cultivar, alimentar, desenvolver, ajustar, corrigir, reparar, reformar; cultivar moralidade, virtude ou iluminação; no budismo: prática religiosa, meditação”.
  11. liè: “Frio, congelado”. Considerando a redundância com寒 hán, provavelmente a palavra correta seja 洌 liè: “Vinho, água, etc., claros e puros; fresco; lavar”. (Observar a pequena mudança entre os dois radicais gelo e água). // 寒 hán: “Frio, congelado”. // 泉 quán: “Uma fonte, um manancial, um gêiser; origem, começo”.
  12. shöu: “Obter, juntar, armazenar, pegar; receber o que é devido e disponível; dedicado, consagrado”. // 幕 : “Uma cortina, cobrir, uma tenda”.