H20 Observado de longe

  1. Yi Jing Orienta
  2. Yi Jing: Uma ferramenta para o autoconhecimento
  3. Hexagramas
  4. Hexagrama 20

TEXTOS GERAIS

NOME

觀 OBSERVADO DE LONGE 1

guän 147-18. Formada pelo radical 見 jiàn “olhar” e o fonema 雚 guàn “cegonha”; representa uma cegonha olhando desde o telhado da casa onde instalou seu ninho; mas, ao mesmo tempo, uma cegonha (um grande pássaro com olhos destacados) sendo vista no alto de um telhado. A palavra significa: “Ver, observar; observar cuidadosamente; examinar detalhadamente; ver com amplidão ou à distância; visão, linha de visão; pensar, contemplar, especular, analisar; mostrar, esclarecer”. Couvreur acrescenta: “Considerar de longe, observar de um lugar elevado, olhar, contemplar, examinar com cuidado; fazer ver, fazer conhecer, informar, instruir; aspecto, vista, aparência, espetáculo; lugar elevado de onde se pode observar, torre, belvedere”.

Devemos observar que a palavra 見 jiàn é a que propriamente deve ser traduzida por “olhar”. Ela significa: “Ver, experimentar com os próprios olhos, discriminar; visitar, ter uma audiência com; observar; mostrar; ser visível; ideia, opinião, ponto de vista”.

O manuscrito de Mawangdui tem o mesmo nome para este hexagrama.

PALAVRAS-CHAVE

OBSERVAR:
“Examinar atenta, minuciosamente, a(s) pessoa(s) e/ou o ambiente que a(s) cerca(m)”. Bisbilhotar, buscar, escavar, esmiuçar, especular, estudar, examinar, explorar, fuçar, investigar, perquirir, perscrutar, pesquisar, ponderar, procurar, revistar, revolver, vasculhar.
Vigiar:
Atender, contemplar, espiar, espionar, espreitar.
LONGE:
Afastado, alongado, apartado, desapegado, distante, extremo, longínquo, recuado, remoto, retirado.

OUTROS NOMES

JAVARY:
O olhar
Olhe! Elevar seu ponto de vista
RICCI:
Percepção do invisível, momento onde se percebe a influência das energias ocultas
ZAFRA:
Observando a realidade
JAVARY:
Encarar o Inverno
WING:
Contemplando
REIFLER:
Contemplação
DAMIAN-KNIGHT:
Una vista panorâmica (Planejando/Projetando)
SHCHUTSKII:
Contemplação
LOISI:
A contemplação
GALL:
O bom exemplo
BLOFELD:
Olhando para baixo
SIU:
Contemplação
LEGGE:
Contemplação
DAMIAN-KNIGHT:
Uma perspectiva do mundo
CHIH-HSU:
Observando
WILHELM:
Contemplação (A vista)
REVERSO:
H19 ou H20:
Aproximar-se ou contemplar

JULGAMENTO

(guān)(guàn) (ér) () (jiàn)(yǒu) () () (ruò)

Observado de longe faz a ablução, mas não a oferenda; há confiança nele porque parece imponente. 2

PALAVRAS-CHAVE

CONFIANÇA:
Certeza, confidência, crédito, fé, fidúcia, segurança.
IMPONENTE:
Admirável, alteroso, augusto, epopeico, esplêndido, fabuloso, gigantesco, grande, heroico, magnificente, magnífico, majestoso, monumental, nobre, pujante, soberbo, sublime, surpreendente. Coragem: Ânimo, arrojo, atrevimento, audácia, bravura, brio, decisão, denodo, destemor, galhardia, heroísmo, ímpeto, intrepidez, ousadia, peito, resolução, temeridade, valentia, valor. Ação, certeza, definição, deliberação, determinação, disposição, firmeza, vontade.

O texto se refere ao intervalo entre dois momentos de um ato religioso, representando o ponto culminante da cerimônia 3. Assim, o oficiante se assegura, com seu aspecto majestoso, o respeito de todos os participantes e serve de modelo na execução do ritual.

EXPLICAÇÃO DO JULGAMENTO

() (guān) (zài) (shàng)(shùn) (ér) (xùn)(zhōng) (zhèng) () (guān) (tiān) (xià)

(guān)(guàn) (ér) () (jiàn)(yǒu) () () (ruò)(xià) (guān) (ér) (huà) ()

(guān) (tiān) (zhī) (shén) (dào)(ér) () (shí) () ()

(shèng) (rén) () (shén) (dào) (shè) (jiào)(ér) (tiān) (xià) () ()

Algo grande se observa no alto; dedicado e obediente, central e correto, por isso é observado pelo mundo todo.

Observado de longe faz a ablução, mas não a oferenda; há confiança nele porque parece imponente e os de baixo o observam e se transformam!

Observando o caminho divino do Céu vemos que as quatro estações não se excedem 4; assim, o sábio usa o caminho espiritual para implementar seus ensinamentos e todo o mundo o escuta! 5

A Explicação se refere à 5ª linha que, junto com a 6ª, é regente do hexagrama. O significado do hexagrama é extraído da sua forma, que lembra uma torre que pode ser vista de longe e da qual podem se ver as coisas longínquas.

Estamos perante um caminho de mão dupla: os que estão encima servem como modelo e orientam a conduta dos que estão embaixo, ajudando-os a se transformar; mas, pela sua vez, devem se adaptar às necessidades daqueles que os seguem.

IMAGEM

(fēng) (háng) () (shàng)(guān)(xiān) (wáng) () (shěng) (fāng)(guān) (mín) (shè) (jiào)

O vento age sobre a terra, observado de longe.

Assim, os reis da antiguidade, porque visitavam os quatro cantos do mundo, observavam o povo para implementar seus ensinamentos. 6

O vento circula pela superfície da terra penetrando por toda parte, e assim faziam os reis da antiguidade. Mas o vento deve se adaptar à topografia do terreno e da mesma forma os antigos reis deviam se adaptar ao povo. Essa adaptação lhes permitia otimizar sua condição de modelos a serem seguidos e aprimorar os ensinamentos com os quais ajudavam o povo a se transformar.

SEQUÊNCIA

(lín) (zhě) () ()() () (rán) (hòu) () (guān)() (shòu) (zhī) () (guān)

Aquele que observa de perto é grande! As coisas grandes certamente podem ser enxergadas, por isso agora vem observado de longe. 7

HEXAGRAMAS MISTURADOS

(lín)(guān) (zhī) ()(huò) () (huò) (qiú)

O significado de observando de perto e de observado de longe é ‘Compartilhar’ e ‘pedir’, [respectivamente]. 8

H19, Observando de perto, tem um movimento centrífugo no qual o sábio se doa aos que o rodeiam, submergindo-se entre eles para ajudá-los melhor. Por seu lado, H20, Observado de longe, tem um movimento centrípeto, no qual o sábio pode ser olhado pela comunidade para servir-lhe de modelo.

DESCRIÇÃO DO MOMENTO

Depois de olhar de perto as situações com as quais temos que lidar, para assim identificar todas as nuanças possíveis, seremos olhados, de longe, para sermos julgados pelas nossas atitudes e pela nossa habilidade para tratar com essas situações. É importante destacar a advertência contida no H19: olhar os detalhes não é uma situação que deva se prolongar por muito tempo. Após identificar as sementes e nuanças de uma situação é necessário retomar uma visão de conjunto para encontrar a forma adequada de lidar com as partes. Evitaremos assim unir de forma rude os fenômenos que nos rodeiam. 9

O vento, soprando acima da terra, atinge os quatro cantos do mundo; mas, apesar de sua abrangência, deve, por sua vez, se adaptar à topografia do terreno sobre o qual está soprando. Outra imagem que se aplica a este hexagrama é o de uma alta torre no meio de uma planície; ela pode ser vista de longe, mas também permite, desde ela, estender a vista de forma ampla.

Essas imagens nos trazem o assunto deste hexagrama: como olhar e como reagir aos modelos que as pessoas utilizam para se modificar e melhorar. Um modelo é algo que se impõe a todos os que o observam pela sua grandeza, funcionando como um objetivo a ser alcançado e imitado. Mas um modelo adequado constitui um caminho de duas mãos, já que não pode ser algo tão distante da realidade de quem o contempla que seja impossível atingi-lo; ele deve, portanto, se adaptar a quem esteja dirigido.

Um critério similar se aplica aos ensinamentos do sábio. Ele deve olhar para os princípios fundamentais do Universo, mas deve ser capaz de apresentar esses elevados assuntos numa linguagem apropriada a quem recebe seus ensinamentos. Assim, o discípulo poderá compreendê-los mais facilmente e conseguirá ser transformado por eles.

O hexagrama nuclear é H23, Desgastando-se perigosamente, onde se mostra uma montanha que, sem soberba, se assenta naturalmente sobre a terra. Da mesma forma, o modelo não pode se esquecer da base sobre a qual repousa, ou seja, o conjunto dos indivíduos que o seguem. Caso contrário, estaria montado sobre alicerces fracos, o que provocaria seu desabamento.

O hexagrama antagônico é H34, Fortalecendo o grande. Não é adequado para um modelo correto pretender impor-se pela força, ele deve funcionar pela sua simples presença. Um modelo se estabelece pelo exemplo e ninguém pode ser forçado a segui-lo.

O hexagrama oposto é H19, Observando de perto, onde se mostra a necessidade de acompanhar em detalhe os trabalhos empreendidos. É o complemento natural da existência de um modelo: deve se acompanhar sua validade e sua adequação aos que o seguem.

As diferentes linhas mostram diversas atitudes perante os modelos. As linhas yang são os modelos e as linhas yin os seguem de diversas formas.

  • H206 É um modelo que deve observar os outros para se firmar.
  • H205 É o modelo certo, e se aprimora observando-se a si mesmo.
  • H204 Adota conscientemente um modelo.
  • H203 Percebe que necessita de um modelo.
  • H202 Não enxerga claramente o modelo a seguir.
  • H201 Segue o modelo de forma imatura.

LINHAS

H201=>H421 Aumentando as responsabilidades

  1. (tóng) (guān)(xiǎo) (rén) () (jiù)(jūn) () (lìn)

    Observar de forma imatura não é um erro para um homem inferior, mas envergonha uma pessoa sábia.

  2. (chū) (liù) (tóng) (guān)(xiǎo) (rén) (dào) ()

    A observação imatura do seis no começo representa o caminho do homem inferior!

Yin em posição yang inicial, sem correspondência nem vizinhança, esta linha é muito fraca e isolada, pelo que sua visão de mundo acaba sendo muito ingênua. Essa situação é incompatível com a necessidade eventual de "fazer grandes obras" (H421). Sua atitude pode até ser desculpada numa pessoa inferior, mas não num sábio, que deve começar por saber escolher bem seus modelos. O máximo que esta linha pode fazer, caso suas responsabilidades aumentem (H42), é se esforçar em procurar um modelo apropriado o qual possa seguir e que compense sua imaturidade, recebendo disso “benefícios fundamentais” (H421).

H202=>H592 Dispersando a rigidez

  1. (kuī) (guān)() () (zhēn)

    Observando de forma limitada, só conveniente [no caso] duma insistência feminina. 10

  2. (kuī) (guān) () (zhēn)() () (chǒu) ()

    A insistência feminina em observar limitadamente pode realmente envergonhar! 11

Yin em posição yin central, em correspondência com a 5ª e sem vizinhanças, esta linha tem sua visão limitada pela sua baixa posição. Olha para o alto (para o modelo certo da 5ª) através da barreira representada pelas 3ª e 4ª linhas e só consegue ter uma visão confusa e dispersa (H59).

Essa atitude humilhante somente poderá ser consertada no caso de ela se flexibilizar, reconhecer seu erro e procurar um "ponto de apoio" (H592) na sua correspondência com a forte 5ª linha.

O texto lembra uma mulher afegã, coberta pela sua burka da cabeça aos pés e olhando através de uma rede de tecido, ou os camarotes do Teatro Colón de Buenos Aires, fechados por uma treliça e destinados...às mulheres grávidas!!! O ponto que o texto quer destacar não é a condição feminina em si, mas uma situação de inferioridade por parte do sujeito. Isso fica claro porque, enquanto o texto original elogia uma atitude feminina (flexibilidade, humildade, etc.), a Pequena Imagem destaca que a posição feminina inferior, própria de culturas “machistas”, pode envergonhar o sujeito.

H203=>H533 Desenvolvendo-se gradualmente

  1. (guān) () (shēng)(jìn) 退(tuì)

    Observo minha vida progredir e declinar. 12

  2. (guān) () (shēng)(jìn) 退(tuì)(wèi) (shī) (dào) ()

    Observo minha vida progredir e declinar porque ainda não perdi o caminho!

Yin em posição yang, em correspondência com o modelo cuidadoso da 6ª e sem vizinhanças, esta linha não tem muita energia, mas tem perspectiva suficiente para ser capaz de se autoanalisar e observar as idas e voltas da sua vida. Ela é ajudada pelo sábio da 6ª linha, que representa o modelo a ser seguido, para superar a sensação de ser inútil, como "um homem que parte e não regressa ou uma mulher que engravida e não alimenta a criança" (H533). Essa análise vai acabar representando um desenvolvimento (H53) pessoal que iluminará seu caminho futuro. Noutras palavras, o sujeito desta linha olha primeiro para si para depois escolher adequadamente o modelo mais apropriado à sua situação.

H204=>H124 Paralisado pela incompatibilidade

  1. (guān) (guó) (zhī) (guāng)() (yòng) (bīn) () (wáng)

    Observando a luz do reino é conveniente e útil ser hóspede do rei. 13

  2. (guān) (guó) (zhī) (guāng)(shàng) (bīn) ()

    Observa a luz do reino porque é um hóspede valorado! 14

Yin em posição yin, sem correspondência, mas com uma vizinhança correta com a forte e clara 5ª, esta linha tem a suficiente capacidade para enxergar que sua posição é totalmente dependente do imperador. Ela pode superar a estagnação (H12), à qual sua fraqueza a condenaria, aceitando "receber ordens para não errar" (H124), ou seja, utiliza a 5ª como modelo de sua conduta, de forma consciente.

H205=>H235 Desgastando-se perigosamente

  1. (guān) () (shēng)(jūn) () () (jiù)

    Observando minha vida, se for a de uma pessoa sábia, nenhum erro.

  2. (guān) () (shēng)(guān) (mín) ()

    Observar minha vida equivale a [ser] observado pelo povo!

Yang em posição yang central, em correspondência com a limitada 2ª, em vizinhança com a dependente 4ª e compartindo o topo da torre com a 6ª, temos aqui um imperador que serve de modelo a todos. Sua visibilidade, porém, envolve grandes responsabilidades, porque exige uma conduta moralmente correta. Ele não pode se considerar automaticamente um referencial puro: deve observar quem o segue como "uma fileira de peixes" ou como "as favoritas do palácio" (H235), para verificar se sua ação é correta e se sua influência está sendo positiva. Caso contrário, sua ação seria desgastante e perigosa (H23) em lugar de benéfica. Esta linha deve fazer uma introspecção, olhando primeiro para si, para assim verificar sua capacidade para servir de exemplo aos outros.

H206=>H086 Aproximando-se mutuamente

  1. (guān) () (shēng)(jūn) () () (jiù)

    Observando a vida dos outros; se for uma pessoa sábia, nenhum erro.

  2. (guān) () (shēng)(zhì) (wèi) (píng) ()

    Observa a vida dos outros porque sua tendência ainda não se consolidou! 15

Yang em posição yin, no topo e em correspondência com a 3ª, esta linha é a mais visível de todas e todo o mundo tem seus olhos colocados nela. Seu excesso de energia pode, porém, levá-la a adotar atitudes orgulhosas na sua aproximação (H08) aos outros porque, "sem reconhecer seus erros" (H086), pode acreditar ser superior aos demais.

Os erros desta linha se originam no fato de se encontrar no topo do trigrama vento, ou seja, ela oscila muito nas suas posições, provocando insegurança nos que procuram se espelhar nela como modelo. Para superar essa fraqueza deve se aproveitar da sua posição no topo, o que lhe permite uma ampla visão, e, tomando nota da diversidade dos que se aproximam dela, aprimorar suas atitudes pessoais para facilitar o avanço daqueles que o tomam como modelo.

NOTAS

  1. Os conceitos “ver”, “olhar”, “observar” têm sentidos muito próximos e todos eles captam aspectos da palavra chinesa 觀, mas nossa escolha por “observar” está firmada no texto do Julgamento, onde o oficiante do sacrifício é olhado com atenção pelos participantes. A ideia de observar “de longe” é decorrente da imagem de uma cegonha visível de longe (que faz parte do próprio nome do hexagrama) e do fato de este hexagrama ser o oposto do H19, Observando de perto.
  2. guàn: “Lavar as mãos”. // 荐: A maioria dos textos chineses trazem 荐 jiàn 140-06: “Um tapete de junco; repetir; frequentemente; juntar”. Shaughnessy (1997), por seu lado, dá como texto recebidojiàn 140-13, que Couvreur também apresenta como equivalente: “Avançar, oferecer, presentear, recomendar; selecionar, escolher, incluir; um tapete; espalhar, esticar; frequentemente, uma e outra vez”. // 顒 yóng 181-09: “Dignidade, presença”. // 若 ruò. “Como se, igual a”.
  3. Confúcio, nos Analectos III-10, diz: “... assim que se efetuou a libação para implorar a vinda dos espíritos, já não tenho nenhum interesse em permanecer como espectador da cerimônia. ”
  4. te: “Um excesso, demasiado; errar”.
  5. shè: “Estabelecer, preparar, organizar, implementar”. // 教 jiäo: “Ensinar, educar”. // 服 : “Seguir, escutar”.
  6. xîng: “Visitar”. // 方 fäng: “Quadrado, os quatro pontos cardinais, lugar”.
  7. rán: “Desta forma; é assim; ser assim, sim, certamente; formação de adjetivos e advérbios; pelo outro lado, porém”.
  8. huò: “Cada um, um ou outro; alguém; quiçá, em alguns casos, possivelmente; duvidoso, incerto”. // 與 : “Tomar parte em, estar implicado em, ocupar-se com; dar, presentear, conceder, prover; associado com, ser comparado com; junto com”. // 求 qiú: “Procurar, buscar; desejar, pedir, perseguir algo”.
  9. Continuando a citação de John Dewey (vide nota 12 do H19): “O caso da astronomia é típico das ciências físicas quando comparado com o conhecimento dos assuntos humanos. A essência destes últimos é que não podemos nos refugiar em abstrações seletivas, que são o segredo do sucesso do conhecimento científico. Quando introduzimos esse tipo de simplificações em assuntos sociais e morais eliminamos os fatores caracteristicamente humanos. Podemos exemplificar o dito considerando a diferença entre os resultados obtidos em laboratórios e os processos de produção com fins comerciais. Sob condições de laboratório os elementos são isolados e tratados com um controle impossível nas fábricas, onde o mesmo isolamento rígido vai confrontar o objetivo de produção barata e em grande escala. Todavia, no fim, os resultados da investigação científica transformam a produção industrial. Novas operações são sugeridas, e os resultados do laboratório podem indicar formas de eliminar operações desnecessárias. Abstrações e simplificações artificiais são precondições necessárias para conseguir a habilidade para lidar com aqueles assuntos que são complexos, nos quais há muitas variáveis e onde o isolamento estrito destrói as características especiais do assunto em pauta”. (Dewey, 1929, pág.216-7.)
  10. kuï 116-11, radical 穴 xuè “buraco” e fonética 規 güi, “regulamentos”, formado, pela sua vez, por 夫 , “marido” e 見 jiän, “olhar”; o conjunto significa: “olhar, espreitar, espionar”. Equivalente a 闚 kuï, 169-11, radical 門 mén, “porta” e fonética 規 güi. Resumindo: “olhando o marido pela porta ou por um buraco”. A ideia do caráter é que o sujeito tem uma visão muito limitada e parcial de quem pode lhe servir de modelo (na China antiga o marido era o modelo e o referencial da mulher). Por isso, escolhemos a versão 'observação limitada', que traduz o sentido do texto sem cair em problemas de interpretação 'sexista', como seria 'espionar', 'espreitar', termos que resultam pejorativos quando aplicados a uma mulher enquanto mulher.
  11. : “Também, é mais, realmente”. // 丑 chôu: “Mau; envergonhado, odiar”.
  12. jìn: “Avançar, progredir”. // 退 tùi: “Retirando, declinando”.
  13. guäng: “Luz, brilho, esplendor”. // 賓 bïn: “Visitante, hóspede”.
  14. shàng: “Valorar, honrar, estimar”.
  15. pìng: “Nivelado, pacífico, calmo; ordinário, comum; igual, uniforme”.